- Destaque - Destaque Principal Geral

Zika: governo edita MP com medidas de combate

Entre as medidas a serem adotadas para enfrentar o vírus, está o ingresso forçado de agentes de saúde em imóveis públicos e particulares

A presidente Dilma Rousseff editou medida provisória nesta segunda-feira determinando ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor do Zika vírus, diante do “iminente perigo à saúde pública”, informou o Diário Oficial da União.

Entre as medidas a serem adotadas para enfrentar o Zika, assim como dengue e chikungunya –também transmitidas pelo mesmo mosquito–, está o ingresso forçado de agentes de saúde em imóveis públicos e particulares em caso de abandono ou na ausência de pessoa que possa autorizar a entrada para a eliminação de eventuais focos de reprodução do Aedes.

“Sempre que se mostrar necessário, o agente público competente poderá requerer o auxílio à autoridade policial”, diz a MP.

O governo também vai realizar campanhas educativas e de orientação à população sobre as doenças.

O Brasil está em alerta por causa da disseminação de casos suspeitos de microcefalia em bebês recém-nascidos relacionados com o Zika vírus, a cerca de 4 mil, a maioria concentrados na região Nordeste.

Na sexta-feira, Dilma disse que o país perde a luta contra o mosquito transmissor da doença enquanto o inseto estiver se reproduzindo, ao fazer um apelo pela mobilização em todo o país para combater o Aedes aegypti.

Sintomas

Os sintomas mais comuns são febre e exantema (erupção cutânea ou urticária), muitas vezes acompanhados por conjuntivite, dores musculares ou nas articulações, com um mal-estar que começa entre dois e sete dias após a picada de um mosquito infectado. Não há vacina ou tratamento específico para a infecção por Zika.

Por isso, o tratamento consiste em aliviar os sintomas, inclusive para as grávidas, que devem seguir as recomendações médicas.

O vírus é transmitido por picadas do mosquito Aedes aegypt. Ele foi isolado pela primeira vez em 1947, em Uganda, em um macaco na floresta de Zika, mas somente em 1952 foi descrito como um vírus da mesma família dos causadores da febre amarela e da dengue.

Microcefalia 

Bebês com microcefalia (com a cabeça menor do que o normal), possivelmente causada pelo vírus Zika, apresentam problemas de desenvolvimento, porém tratamentos desde os primeiros anos aprimoram a qualidade de vida da criança. Não há cura.

Reuters

Hoje Mais