- Destaque - Destaque Principal Economia

Terminal de Porto Murtinho será reativado nesta terça com exportação de açúcar

Ainda em 2015, estão previstas outras 40 mil toneladas para serem escoadas

O terminal Portuário de Porto Murtinho (MS) será reaberto nesta terça-feira (20) com a exportação de 6 mil toneladas de açúcar para o Uruguai. O anúncio da retomada das operações foi feito pelo governador Reinaldo Azambuja em entrevista com exclusividade para a reportagem do Correio do Estado, no dia 6 de outubro.

Para o governador, a reativação das atividades oferece aos empreendedores um canal de escoamento alternativo pelo rio Paraguai para a produção estadual. O objetivo é reduzir até pela metade os custos com o transporte dos produtos regionais para outros países.

Além da importância para a logística do transporte da produção, a retomada das operações portuárias representa relevante incremento para a economia do município. Entre empregos diretos, serão abertas 80 vagas e mais 200 postos indiretos, de acordo com a Agência Portuária de Porto Murtinho (APPM).

Segundo o titular da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade), Jaime Verruck, a expectativa é de que, após a reabertura do terminal de Porto Murtinho, sejam escoadas 300 mil toneladas pelo local no ano de 2016. “Estamos sendo favorecidos, pois além dessa carga de açúcar – cujo embarque já sinaliza a viabilidade desse modal – temos uma produção recorde de grãos. Somente de milho, Mato Grosso do Sul exportou 3,5 milhões de toneladas neste ano”.

INVESTIMENTOS NO MUNICÍPIO

A reativação do terminal portuário deve beneficiar não só a logística da produção do Estado, mas também a economia do município. Essa pelo menos é a expectativa do prefeito Heitor Miranda, que prevê a atração de indústrias e o aumento da arrecadação de impostos após o início das atividades do porto.

“Vai gerar emprego, com novas indústrias, empreendimentos e mais uma série de benefícios para o município. As cidades pequenas (como Porto Murtinho) têm uma receita própria muito pequena, são dependentes de repasses estaduais e federais, e com a atividade do porto vamos conseguir uma receita importante própria. Isso permite muitos investimento”, avalia.

Segundo Miranda, a Prefeitura já recebeu empresários interessados em construir fábricas na barragem. “Tem uma grande empresa interessada em construir um estaleiro”, afirma. Há também expectativa de que, com o porto em funcionamento, os chineses (que estão investindo em fábrica em Maracaju) retomem as conversas para instalação de indústria de soja na região.

 

Reativação de porto poderá servir de atrativo para indústrias
(Foto: Arquivo)

GABRIEL MAYMONE E PAULA VITORINO