Mundo

“Quero agradecer aos que rezam por mim”, diz enfermeira contaminada com ebola

A funcionária de um hospital no Texas, que se tornou no domingo (14) o primeiro caso de contágio de ebola dentro dos Estados Unidos – e o segundo fora da África – disse nesta terça-feira que se “sente bem”. “Eu me sinto bem e quero agradecer a todos aqueles que me enviaram desejos de recuperação e estão rezando por mim”, declarou Nina Pham em um comunicado divulgado pela clínica onde ela trabalha e na qual agora está em isolamento.

Nina Pham, de 26 anos, cuja exata função no hospital não foi informada, contaminou-se com o vírus como integrante da equipe que tratou do liberiano Thomas Eric Duncan. Duncan tinha viajado da Libéria para o Texas em setembro e começou a apresentar os sintomas do ebola dias depois de sua chegada. Ele morreu na semana passada.

Nina recebeu plasma retirado do sangue de um médico que se curou da doença. A transfusão de plasma, contendo anticorpos para o vírus do ebola, ocorreu na tarde desta segunda. Ele veio de Kent Brantly, o médico do Texas que sobreviveu ao ebola. Brantly contraiu a doença quando trabalhava como voluntário em um grupo missionário também na Libéria.

O diretor dos Centros de Prevenção e Controle de Doenças dos EUA (CDC), Thomas Frieden, disse que a agência vai ampliar o treinamento dos profissionais do sistema de saúde dos EUA.

Segundo ele, 76 pessoas que podem ter tido contato com Duncan após sua internação estão sendo monitoradas.

Segundo Frieden, “apenas uma única pessoa” teve contato com Nina enquanto ela poderia transmitir a doença. O diretor dos CDC disse também que ainda não sabe como a enfermeira contraiu a doença em uma unidade hospitalar de isolamento.

Duncan foi o primeiro paciente a ser diagnosticado com ebola nos Estados Unidos, mas ele contraiu a infecção em seu país natal, a Libéria. O caso desta profissional de saúde foi o primeiro em que a transmissão da doença ocorreu em território americano.

 

via”Quero agradecer aos que rezam por mim”, diz enfermeira contaminada com ebola – Correio do Estado.