- Destaque - Destaque Principal Três Lagoas

Profissionais da Saúde recebem orientações no combate à Dengue

A ação conta com o apoio da Prefeitura de Três Lagoas, por meio da Saúde, em parceria com a Fibria

Profissionais da Saúde de Três Lagoas, na área de Vigilância Sanitária, Epidemiológica e Endemias receberam nesta quarta e quinta-feira (1 e 2), na sede do Setor de Vigilância Sanitária, orientações dos técnicos da Ecovec – empresa patenteada na fabricação de armadilhas que verificam o índice de infestação de Dengue no Município. A ação conta com o apoio da Prefeitura de Três Lagoas, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e parceria da Fibria.

Na quarta-feira (1), as orientações foram realizadas pelo gerente Corporativo de Higiene, Segurança e Medicina do Trabalho da Fibria, Gerson Nogueira e na quinta-feira (2) pelas biólogas e analistas técnicas da empresa, Kahena Stafleu e Ana Paula Moreira Venturatto Matos.

Segundo as biólogas, a ação tem como objetivo orientar os profissionais da saúde a melhorar a efetividade do monitoramento do programa que existe desde 2007, ações de prevenção e combate ao mosquito transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika. Com essa mobilização, o setor estará preparado para o período de pico da expansão, que deve acontecer no próximo verão, em meados de janeiro de 2016, e terá um fluxo maior de pessoas na Cidade.

“Teremos uma rotatividade muito alta de pessoas com pico de até 8 mil trabalhadores em Três Lagoas e com isso, a tendência é aumentar o número de casos de Dengue. Prevendo isso, faremos este trabalho de orientação com intuito de melhorar o serviço e já nos antecipar para ter o mínimo de casos nos próximos meses”, disse Kahena.

Embora o trabalho de orientação e prevenção já esteja acontecendo no Município, às biólogas reforçam que o principal colaborador para o combate à Dengue é a população. “As pessoas tem que se conscientizar que é importante evitar qualquer tipo de resíduo que possa acumular água e proliferar o mosquito”, ressaltou Ana Paula.

Outro fator preponderante para que o número de casos seja menor no próximo ano são ações com as armadilhas, instaladas nas residências em pontos estratégicos, atingindo um raio de 250 metros, na qual semanalmente são verificadas o índice de infestação do mosquito fêmea adulta – principal responsável pela transmissão e proliferação da doença.

O serviço de monitoramento do índice de infestação do mosquito da Dengue por meio das armadilhas teve início no ano de 2007 em Três Lagoas.

“Com isso teremos um mapa mensal onde poderemos mensurar quais regiões possuem um índice maior de infestação e assim, pensar em maneiras estratégicas em diminuir o número de casos, gerando um resultado mais eficaz e positivo”, destaca Kahena.

Além disso, as biólogas informaram que ao longo do segundo semestre deste ano  serão previstos treinamentos com os profissionais da saúde, por meio de workshops, palestras e atividades acerca do tema.

 

Assessoria