- Destaque - Destaque Principal Política

PMDB pode ficar sem candidato a prefeito por falta de nome de peso

Opções do partido perdem até para os petistas nas pesquisas

O PMDB de Mato Grosso do Sul corre o risco de não ter candidato a prefeito de Campo Grande depois da frustração com fraco desempenho das suas opções na pesquisa do Ipems. A cúpula do partido está em busca de outra opção, porque os dois nomes submetidos à avaliação dos eleitores perdem para os petistas. Algo inimaginável diante do profundo desgaste do PT em nível nacional em decorrência dos sucessivos escândalos de corrupção.

No primeiro cenário da pesquisa do Ipems, o senador Waldemir Moka amarga a última colocação com 1,57% das intenções de voto, atrás do ex-governador e deputado federal José Orcírio dos Santos, o Zeca do PT, com 9,53%. E em outro quadro, o deputado federal Carlos Marun, também, aparece na “lanterninha” com 1,98% das citações no levantamento, um pouco atrás do vereador Marcos Alex (PT) com 2,73%. Embora os números indicam empate técnico, os petistas estão numericamente à frente dos peemedebistas.

Marun vinha sendo apontado por ser a principal alternativa à corrida eleitoral na Capital, pelo seu destacado desempenho no debate sobre o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, na Câmara dos Deputados. Ele também ganhou projeção nacional na defesa do presidente afastado da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Teresa Cristina pode ser a candidata do grupo de André – Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados

Reportagem de Adilson Trindade está na edição de hoje do Correio do Estado.