Três Lagoas

Novembro Azul busca a prevenção do câncer de próstata, o sexto tipo mais comum no mundo

O mês de novembro é dedicado à conscientização do câncer de próstata, uma doença que atinge grande parte dos homens. Sendo assim, o Hospital Auxiliadora, Secretaria Municipal de Saúde, junto com o Instituto do Câncer de Três Lagoas e também a Rede Feminina, estão trabalhando para levar informações e também a prevenção para todos.

Uma campanha foi feita com o slogan “Este preconceito pode tirar você de sua família”. Outdoors estão sendo colocados na cidade, panfletagem e também adesivos nos veículos irão propagar o Novembro Azul. Ações preventivas serão realizadas e divulgadas em breve.

Câncer de Próstata

Sabe-se que o câncer de próstata é a neoplasia maligna mais comum entre os homens. A detecção precoce é fundamental para o seu tratamento, visto que 90% são curáveis. A doença, em sua fase inicial, não apresenta sintomas, por isso, a ida anual ao urologista é indispensável.

Segundo dados coletados pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), em 2012 e 2013,  60.180 novos de casos de câncer de próstata foram constatados, sendo mais incidente que o câncer de mama nas mulheres. Contudo, o preconceito com o exame do toque retal ainda é forte no Brasil.

Para o médico oncologista do Instituto do Câncer de Três Lagoas, Rodrigo Melão, o preconceito ainda existe. “Quanto mais precoce o diagnóstico, maiores são as chances de cura da doença. Estima-se que em 2014 exista 68.000 novos casos e aproximadamente 13.000 mortes/ano. Por isso, todo homem acima dos 50 anos deve fazer o exame”, explica.

No Instituto do Câncer de Três Lagoas,  em  2013, foram tratados 27 homens com câncer de próstata, sendo 10 que já faziam o tratamento de quimioterapia e hormonioterapia e 17 que entraram ao longo do ano. Já de janeiro a novembro de 2014 estão em tratamento 42 pacientes.

 

viaNovembro Azul busca a prevenção do câncer de próstata, o sexto tipo mais comum no mundo.

Novembro Azul busca a prevenção do câncer de próstata, o sexto tipo mais comum no mundo