- Destaque - Destaque Principal Três Lagoas

Motoshow e seu possível fim

Próximas edições podem ser canceladas e hospital pode não receber doação

O Motoshow é um dos principais eventos anuais da cidade. O tradicional encontro de motos realizado pelo Rotary reverte o dinheiro arrecadado para instituições como Rede Feminina de Combate ao Câncer e Hospital Auxiliadora. Mas esse ano, a grande festa que chamava a atenção de todos e atraía público de dentro e de fora da cidade, até mesmo do estado, não foi como o esperado. O público caiu e a organização pensa em deixar de promover o evento.

O idealizador do evento, Antônio Carlos Garcia de Oliveira “Totó”, não ficou satisfeito com o resultado da 14ª edição do Motoshow. Conforme ele foram vários os fatores que contribuíram de forma negativa para o evento. Como consequência disso, a organização pensa em não promover mais o Motoshow em Três Lagoas.

A FESTA

Foram duas noites e um dia de festa. O último final de semana foi de muita música, apresentações com motos e carros, praça de alimentação completa, lojas de equipamentos para motos, artesanato, roupas, além de exposições de arte. Tudo isso para receber a população e os motociclistas.

O Motoshow é um evento para quem gosta de motos e música. Um grande encontro de motos, com alto custo. “É um evento completo, que possui toda documentação necessária. Gera movimento em todo o município. Creio que no fundo, os idealizadores, que agem de forma fraternal, estão amargurados, tristes, de fazerem um grande evento, que não teve boa repercussão”, e desabafou: “se não está bom, por que continuar?”, disse, pensando em cancelar as próximas edições do evento.

QUEDA DE PÚBLICO

Para o idealizador, foi perceptível a queda tanto em número de presentes quanto do lucro, que seria voltado para a construção de uma ala de oncologia para o Hospital Auxiliadora e que acabou sendo prejudicada, pois de acordo com os cálculos da organização, não teve o retorno esperado. “A rigidez da atuação da polícia durante o evento fez com que muitos participantes de fora, que chegaram à cidade, retornassem para casa no mesmo dia. Muitos que vieram nem saíram dos hotéis”, explicou.

PADRÃO EUROPEU

“Durante o final de semana, Três Lagoas foi uma cidade perfeita, com ‘padrão europeu’; só que um dia após o evento, passei pela Ranulpho [avenida – perímetro urbano da rodovia BR-262]; vi várias irregularidades no trânsito e nenhum policial. Então, acabou o Motoshow e voltamos ao padrão ‘Brasil’”, observou Totó.

Ainda em entrevista ao Hojemais, o idealizador do evento lamentou. “Tudo tem de ser analisado. Não queremos contrariar nenhuma autoridade, nem trazer baderna, nem beberrões, nem queremos que os cidadãos se sintam importunados pelo barulho, tampouco uma conduta ofensiva ao policiamento. Então, às vezes, para que isso não aconteça mais em Três Lagoas, pensamos seriamente em não mais produzir o evento”, concluiu Antônio Carlos. (Com informações de Aurora Villalba)

Camila CarvalhoHojemais