- Destaque - Destaque Principal Geral

Ministra quer “exército” de crianças na guerra contra mosquito Aedes

Em Campo Grande, alunos ganharão certificado de agentes

Mobilização nacional da educação contra o mosquito Aedes aegypti acontece nesta sexta-feira (19). Para marcar as ações, a ministra Tereza Campello, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome está em Campo Grande e quer montar “exército” de crianças contra o vetor.

A primeira escola visitada pela ministra e pelo prefeito Alcides Bernal (PP) foi a Senador Rachi Saldanha Derzi, no Jardim Noroeste.

Assim como em outras escolas da rede de educação, o dia será de orientar crianças e adolescentes para que eles repassem para os pais e façam em casa o que for possível para acabar com focos do mosquito.

Nas salas de aula, o assunto será tratado de forma didática, ou seja, inserido nas disciplinas. Professor de matemática, Ernane Mazzi, afirma que uma das formas encontradas para explorar o assunto será em aulas de cálculo, por exemplo.

“A gente pode relacionar os cálculos com quantidade de sujeira por quarteirões e entre um conteúdo e outro adotar a conscientização”, afirma.

Bernal disse que cada criança da Rede Municipal de Ensino (Reme) que cumprir as tarefas e ajudar na conscientização irá receber um certificado de agente contra a dengue, forma lúdica de incentivar as crianças.

A ministra Tereza afirmou que as crianças formarão um “exército” que irão ajudar na “guerra” contra as epidemias. “O mosquito é chato, e cada um tem q ser chato na sua casa para acabar com ele”, disse para as crianças.

BOMBAS DE SEMENTE

Outra forma de integrar a educação ao combate ao Aedes terá ajuda de alunos do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS).

O professor da área de mecânica, Matheus Neivock, afirma que alunos estão desenvolvendo ações para distribuir semente da crotalária, planta que atrai libélulas, predadoras naturais do Aedes.

“Faremos oficinas para plantio, montaremos armadilha e faremos bombas de semente, que será a semente junto com, argila e terra fértil lançadas em terreno baldio”, disse o professor.

NÚMEROS

Durante o evento da mobilização, o prefeito foi questionado sobre as notificações de dengue em Campo Grande, que tiveram queda de 8 mil em dezembro para 1,5 mil em janeiro e fevereiro.

Questionado se os números seriam reais, Bernal afirmou que a redução “é resultado de uma equipe e povo conscientes do problema grave e que estão fazendo sua parte”. O reforço de fumacê, no entanto, estaria com edital em andamento para aquisição de novos equipamentos para reforço da frota de 20 veículos.

Aedes
Crianças puderam ver o mosquito ainda em forma de pupa (Foto: Kleber Clajus/Correio do Estado)
Ações são feitas em todas as escolas nesta sexta
(Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado)