Geral

Grupo Fértille: O projeto florestal que todos esperavam

Mato Grosso do Sul é considerado um dos estados mais favoráveis à criação de florestas, especialmente aquelas de madeira nobre e Eucalipto. Em Campo Grande, encontra-se o mais bem conceituado grupo empresarial do Brasil no segmento florestal, o Grupo Fértille, tido como uma das maiores referências para o setor no país. Reunindo empresas especializadas no planejamento, implantação e gestão de florestas, trabalhando tanto com Eucalipto como, e principalmente, com madeira nobre, o Grupo oferta aos seus clientes um serviço amplo, com assistência técnica especializada e de qualidade.

De acordo com o diretor comercial do Grupo Fértille, Everton Regatieri, o mercado florestal brasileiro tende a crescer muito nos próximos anos e o estado de Mato Grosso do Sul, por ser um promissor no segmento, deverá acompanhar este ritmo de expansão, favorecendo especialmente aos pequenos e médios produtores. “Nós estamos no mercado desde 2007 e já sentimentos esse crescimento na exploração de madeira nobre”, disse. “A madeira nobre é usada para construções, como piso ou teto, para fabricação de móveis, embarcações, madeiramento aparente, deck de piscina, entre outras utilidades”.

 

Projeto trabalha com Eucalipto e Mogno Africano na mesma área florestal, gerando mais lucro para o produtor.

Até pouco tempo, segundo Everton, tudo o que se produzia no Brasil era exportado. “Hoje a demanda interna já consome até 80% do que é plantado no país, especialmente o estado de São Paulo. Nós encontramos no Brasil espécies como a Guanandi e Mogno Africana, que é a moda da vez. Existem também madeiras que não são tão nobres, como a Teca, que é muito valiosa e exportada em grandes quantidades para a China, Índia e parte da Ásia”, revelou.

Para Everton Regatieri, qualquer produtor que tenha, entre outras condições, uma área boa para o plantio, pode investir no mercado florestal. “Nós fazemos o projeto, o plantio das mudas e gerenciamos até o corte das árvores, em alguns casos garantimos para o investidor a recompra da produção gerada na sua floresta”. De acordo com o diretor comercial, o objetivo do Grupo Fértille já foi alcançado, que era se tornar referência nacional no ramo florestal. “Nós queremos que Mato Grosso do Sul tenha um boom de florestas. Queremos levar até os pequenos e médios produtores a possibilidade da diversificação da área plantada, com novos negócios lucrativos”.

Dual Forest

Um dos projetos desenvolvidos pelo Grupo Fértille chama-se ‘Dual Forest’ e beneficia principalmente os pequenos e médios produtores florestais. Everton Regatieri diz que o projeto em questão surgiu como solução para um problema e que trouxe resultados positivos, tanto para o Grupo Fértille, quanto para a empresa ReflorestMS, também de Campo Grande e parceira na iniciativa. “A minha área é muito boa, só que o retorno financeiro é de longo prazo, uma madeira nobre só dá retorno financeiro a partir do décimo ano após o plantio. Durante este período, do zero ao décimo ano, o produtor florestal apenas investe na floresta”.

“Na floresta de Eucalipto o retorno é mais rápido, então nós juntamos as duas empresas e criamos o projeto”, completou. O projeto consiste na plantação de duas espécies de madeira, a nobre [Mogno Africano] e Eucalipto [para energia], na mesma floresta. “Assim aumentamos em até dez vezes o retorno financeiro do cliente dentro da mesma área, ele passa a ganhar a partir do quarto, oitavo e décimo segundo ano após o plantio com o Eucalipto e do décimo e décimo quinto ano com o Mogno”.

 

Everton explica que o projeto ‘Dual Forest’ cria florestas de curto, médio e longo prazo. “Curto e médio porque o Eucalipto, a partir do quarto ano do plantio, traz retorno financeiro para o produtor, já a madeira nobre requer um processo mais lento e dedicado”. Ainda conforme o diretor comercial do Grupo Fértille, no primeiro e no segundo corte de Eucalipto o produtor praticamente cobre o investimento realizado na floresta, restando para ele mais um corte e toda a madeira nobre que ainda está sendo finalizada. “Foi uma forma de diversificar as pequenas e médias propriedades florestais e foi uma forma da gente diversificar também o ramo florestal”, concluiu.

Grupo Fértille

O Grupo Fértille nasceu com a junção de várias empresas, todas voltadas ao segmento florestal e de madeira. “Temos a Fértille Florestal, que implanta florestas de madeira nobre, temos o Clube de Madeira Nobre, que dá o suporte a pequenos e médios produtores florestais, e temos o Clube do Eucalipto, que trabalha nesta mesma pegada”, apresentou. Everton destaca que as empresas que trabalham com madeira não dão suporte para os pequenos produtores, deixando muitos deles sem informações e assistência técnica especializada. “Nós, do Grupo Fértille, ajudamos os produtores florestais que não encontraram facilidade no mercado, oferecendo serviços essenciais, técnicos e de qualidade”.

viaGrupo Fértille: O projeto florestal que todos esperavam – JL NEWS – Notícias de Campo Grande e região.

Grupo Fértille: O projeto florestal que todos esperavam