- Destaque - Destaque Principal Geral

Ex-presidente da CBF e mais 6 dirigentes da Fifa foram presos hoje na Suíça por corrupção e fraude

Sete dirigentes da Fifa foram detidos em um hotel em Zurique, na Suíça, na manhã de hoje. Eles são suspeitos de corrupção. As prisões foram efetuadas a pedido do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, que investiga diversos executivos da Fifa, entre o brasileiro José Maria Marin, ex-presidente da CBF, que também foi preso.

Conforme Departamento de Justiça americanos além de Marin foram detidos: Jeffrey Webb, presidente da Confederação das Américas Central e do Norte, e vice-presidente da Fifa; Eduardo Li, presidente da Federação da Costa Rica; Julio Rocha, agente de desenvolvimento da Fifa; Costas Takkas, da Concacaf; Eugenio Figueredo, ex-presidente da Conmebol; e Rafael Esquivel, integrante da Conmebol e presidente da Federação de Futebol da Venezuela.

A Fifa informou, em nota, que as eleições para escolha do novo presidente acontecerão normalmente daqui dois dias, e que o atual presidente, Joseph Blatter, e o secretário geral Jerome Valcke não são investigados.

estão implicados no processo. A Organização também afirmou que não planeja adiar suas eleições (marcadas para daqui dois dias) e que as duas próximas Copas do Mundo – 2018 na Rússia e 2022 no Qatar – ocorrerão nos países normalmente. A Fifa também disse que irá colaborar com as autoridades suíças, e afirmou que o momento é certamente difícil.

De acordo com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, 9 dirigentes da Fifa e 5 funcionários foram indiciados por corrupção, extorsão, fraude eletrônica e conspiração para lavagem de dinheiro. Segundo Departamento de Justiça dos EUA, a suspeita é que os envolvidos tenham movimentado mais de US$ 100 milhões em propinas desde os anos 1990.

MS Notícias