- Destaque - Destaque Principal Três Lagoas

Diretor do Hospital Auxiliadora se reúne com parlamentares em Campo Grande para conseguir benefícios para a Instituição

O deputado estadual Ângelo Guerreiro viabilizou visita do diretor do Hospital com o Secretário de Estado de Saúde, Nelson Tavares.

O diretor administrativo do Hospital Auxiliadora, Eduardo Otoni, esteve nesta quinta-feira (31), juntamente com o deputado estadual Ângelo Guerreiro, com o Secretário de Estado de Saúde, Nelson Tavares e a prefeita Márcia Moura, em Campo Grande, para falar sobre as principais dificuldades do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora (HNSA).O Diretor do Hospital, Eduardo Otoni, que tem caminhado junto ao Deputado Estadual pelas cidades que fazem parte da macrorregião de Três Lagoas, somando cerca de 250 mil pessoas e que recebem  atendimentos SUS do HNSA, explicou ao Secretário de Estado de Saúde que a instituição tem um alto déficit mensal e que em Mato Grosso do Sul foi um dos hospitais que mais cresceu em volume de atendimento. Segundo o diretor, uma das alternativas é o aumento da PPI – Programação Pactuada e Integrada, proporcionando uma injeção de recursos e aumentando os atendimentos dos municípios da região que, conforme levantamento, extrapolam o limite estabelecido.

Já conhecida como “Caravana Solidária”, as visitas do Deputado Ângelo Guerreiro e a equipe do Hospital foram avaliadas positivamente pelo Secretário Estadual de Saúde que, de antemão, afirmou não ser possível o aumento do recurso destinado para a PPI, porém, comprometeu-se com a implantação da Regulação e deixar o Estado responsável pelas cirurgias eletivas. “Vamos estabelecer uma quantidade e essa proposta proporcionará uma economia ao hospital, de fato”, disse Nelson Tavares.

As cirurgias eletivas são, atualmente, de responsabilidade da Prefeitura de Três Lagoas, por meio da contratualização, e geram um gasto de aproximadamente R$ 90 mil por mês. Com o Governo do Estado assumindo essa responsabilidade, a Prefeitura de Três Lagoas poderá repassar um valor maior para o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora. “Quanto mais centralizado for o atendimento em Três Lagoas, melhores, mais rápidos e eficientes serão”, pontuou Ângelo Guerreiro.

Já realizando exames de tomografia, em breve o HNSA terá um aparelho de Ressonância Magnética. Como contribuição, o Governo do Estado se comprometeu a assumir os laudos produzidos pelos dois exames citados, gerando uma economia para o hospital de R$ 30 mil por mês.

Com informações Assecom / Dep. Ângelo Guerreiro

 

Adriano Vialle