- Destaque - Destaque Principal Policial

Depois de fuga pelo muro, túnel é encontrado na Máxima

No último dia 2, detento usou lençol para fugir da unidade

Agentes penitenciários do Estabelecimento Penal de Segurança Máxima de Campo Grande, no Jardim Noroeste, encontraram um túnel com direção à muralha da unidade prisional, na manhã desta quinta-feira (7). O fato foi descoberto, depois que os agentes perceberam uma movimentação suspeita na noite de ontem. No último fim de semana, Geraldo de Souza Pereira Neto, o Japonês do PCC, usou uma corda feita com lençóis para pular o muro e fugir.

De acordo com o diretor presidente da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário de Mato Grosso do Sul (Agepen), Ailton Stropa Garcia, o buraco indica um túnel e foi encontrado na quadra de banho de sol, do pavilhão B.

No pavilhão, circulam de 300 a 400 presos e o túnel seguia sentido a um pátio que dá acesso à muralha. A Agepen abrirá um procedimento interno para identificar o responsável e como o buraco foi iniciado. A direção informou que já providencia o fechamento do buraco com concreto.

FUGA

Na fuga do último dia 2, Geraldo de Souza Pereira Neto usou uma corda feita com lençóis para pular o muro do estabelecimento prisional. Conforme Ailton Stropa, o preso serrou uma das grades da cela onde estava para ter acesso ao pátio do presídio.

Conhecido como ”Japonês do PCC”, o detento é apontado como líder de facção criminosa e foi recapturado por uma equipe do Batalhão de Choque (BPChoque), por volta das 22h de ontem (6), no cruzamento entre as avenidas Presidente Ernesto Geisel e Manoel da Costa Lima, no Bairro Guanandi II.

Agepen abrirá um procedimento interno para identificar o responsável
(Foto: Divulgação / Agepen)

Correio do Estado