Geral

Córrego fica coberto de peixes mortos no Interior de São Paulo

A maioria dos peixes mortos são das espécies curimba e mandi

Um afluente do rio Tietê em Salto (a 101 km de São Paulo) apareceu coberto de peixes mortos neste sábado (29).

O local mais crítico está a cerca de oito quilômetros abaixo da cascata que é ponto turístico da cidade e cuja água ficou tingida de preto na última quinta-feira (27).

O torneiro mecânico Paulo Conti, que mora em um bairro próximo ao córrego e frequenta o rio desde criança, afirma que foi um choque ver o rio nesta manhã depois que amigos ligaram para avisá-lo do ocorrido. “Me senti triste, bem triste”, disse.

Conti, que costuma navegar de barco na região, disse que era possível ver os peixes “agonizando” nas águas desde que o problema começou, na quarta-feira (26). “Todos os moradores estão indignados por ver o cartão-postal da cidade passando por isso”, disse, em referência à cascata.

A maioria dos peixes mortos são das espécies curimba e mandi. Segundo Conti, o montante é muito grande e será necessário um trabalho pesado para retirar todos os peixes.

“Urubus já estão rodeando a região, se instalando em cima de construções, árvores e casas”, disse.

Segundo ele, no passado já houve grande mortandade de peixes no córrego, mas nunca nessa proporção. Mesmo assim, diz ele, a cidade ficou “infestada” pelo mau cheiro.

Neste sábado (29), o odor da decomposição dos peixes já é sentido por moradores vizinhos ao córrego, afirma Conti. Ele acredita que o cheiro possa se espalhar ainda mais nos próximos dias.

A reportagem tentou contato com a Prefeitura de Salto e com a Secretaria do Meio Ambiente para saber quais providências serão tomadas e o tempo previsto para limpeza do rio, mas nenhum telefone atendeu neste sábado.

Em entrevista ao UOL na quinta-feira (27) sobre a mudança da cor da água, o secretário João do Conti Neto disse que o fenômeno é frequente, especialmente quando o rio está com baixa vazão e chove muito.

“A sujeira que está no fundo do rio, concentrada, é remexida pela força das águas e aí fica essa mancha preta”, afirmou.

Na ocasião, a Cetesb informou que apura as causas da morte dos peixes e da coloração da água. De acordo com a instituição, a grande presença de detritos e de esgoto, materiais que foram revolvidos pelo aumento do nível do rio, em decorrência da chuva, deve ser a principal causa dos dois fenômenos.

Na sexta-feira (28), o secretário postou em seu perfil pessoal no Facebook a seguinte mensagem: “Secretaria do Meio Ambiente tentará salvar os peixes do córrego do Ajudante. Estamos planejando uma operação amanhã pela manhã, para retornar os peixes para o Tietê”.

Em resposta aos usuários que sugeriram transferir os peixes para outros locais, o secretário disse que eles “estavam todos contaminados por metais pesados e levá-los para outros locais onde os mesmos podem ser pescados e servirem de alimento é muito perigoso”.

 

viaJORNAL DIA DIA – Córrego fica coberto de peixes mortos no Interior de São Paulo.

 Córrego fica coberto de peixes mortos no Interior de São Paulo