Três Lagoas

Capital Mundial da Celulose recebe Três Lagoas Florestal

Presidente do Sindicato Rural, Marco Garcia, durante o seu discurso.

O presidente do Sindicato Rural de Três Lagoas, Marco Garcia, participou na quinta-feira, cinco de março, do lançamento da Três Lagoas Florestal.  A 2ª feira da cadeia produtiva da indústria de base florestal sustentável da região de Três Lagoas, irá ocorrer no Parque de Exposições Joaquim Marques de Souza, de 2 a 4 de junho.

Com a proposta de movimentar mais de R$ 60 milhões em negócios, este é o maior evento do setor florestal das duas Américas. Para o diretor da Painel Florestal, Robson Trevisan, a expectativa para este ano é muito boa. “Na edição anterior contamos com a participação de mais de 15 mil visitantes. Tivemos 112 estandes e 143 marcas participaram. A feira movimentou R$ 42 milhões em negócios e  R$ 6 milhões foram injetados na economia da cidade”, ressalta.

Otimista com o evento, Robson diz ainda que a cidade ganha muito, pois além de movimentar a área hoteleira e gastronômica, os participantes divulgam ainda o nome de Três Lagoas. “Vinte e dois Estados estiveram presentes na última edição, totalizando 15.210 visitantes. Deste número, 37% eram representantes da sociedade, 26% estudantes e professores, 17% produtores rurais e 26% exclusivamente da área florestal. Três Lagoas teve grande destaque em todo o Brasil”.

2º Edição

Para a segunda edição da feira, a expectativa é ainda maior. “Pretendemos movimentar cerca de R$  60 milhões  e iremos contar com a participação de 130 estandes, 150 marcas e um público de 20 mil visitantes”, reforça Trevisan.

Comemoração do centenário

A abertura da Três Lagoas Florestal será realizada no dia 1º de junho, abrindo o calendário oficial de eventos do centenário da Capital Mundial da Celulose. Durante a feira, serão realizados, paralelamente, outros três eventos: Ambienta 2015, no dia 2; Inova 2015, no dia 3; e o Mais Floresta, no dia 4.

Segundo informações repassadas pela equipe de comunicação da Três Lagoas Florestal, o Ambienta 2015 será o 1º Simpósio Brasileiro sobre iniciativas ambientais das atividades econômicas, que vai tratar mais sobre as mais inspiradoras práticas, tecnologias e serviços inovadores que garantem a sustentabilidade nos processos de produção.

Sobre a Inova 2015: será o 1º Simpósio Internacional de Inovação, Inteligência e Tecnologias para Florestas, que vai mostrar os projetos em desenvolvimento pelos mais importantes centros de pesquisa do mundo que visam o aumento da competitividade.

Já o Mais Floresta, em sua segunda edição, vai mostrar as experiências e práticas que deram certo e que servem como orientação para os interessados no mercado florestal.

Sindicato Rural

A direção do Sindicato Rural, presidida por Marco Garcia, acredita que a Feira Três Lagoas Florestal, além de fortalecer a cidade, mostra também as inovações da área. “Nossa cidade está à frente do cenário nacional. Nesse cenário, onde a indústria de celulose é voltada a exportação, faz com que as expectativas possam ser revigoradas. Hoje temos no Estado cerca de 600 mil hectares compostos, principalmente, por eucalipto. Vamos apoiar esse evento”, finaliza Garcia.

Estudo Florestal

Mato Grosso do Sul é o Estado que tem se destacado no cenário florestal nacional, devido ter a maior área de florestas plantadas. Alguns fatores contribuíram para que esse número aumentasse cada vez mais como a disponibilidade de terras e preços competitivos, condições edafoclimáticas, política estadual voltada à silvicultura, condições climáticas, entre outros.  Nos últimos oito anos, a área de florestas plantadas quintuplicou.

Essa expansão, em especial em Três Lagoas, ocorreu com projetos de celulose e a vinda de  grandes empresas para a região.

Uma pesquisa realizada pela Forest2Market do Brasil, empresa parceira da Index Florestal, avaliou a oferta e demanda de madeira atual e projetada até 2016 em diferentes cenários, considerando a possibilidade de entrada de novos players. O resultado apontou que embora Mato Grosso do Sul possua uma base florestal considerável, a produção plena dessas áreas irá demorar a chegar nas indústrias.

De acordo com informações do site Painel Florestal, “em um segundo cenário, ao se considerar novos projetos com elevada chance de concretização, o déficit de madeira no mercado se prolongará por mais cinco anos, até 2022. Finalmente, em um terceiro cenário, que considera o start-up futuro de projetos, cujo arranjo financeiro ainda é incerto, o equilíbrio entre oferta e demanda ocorreria somente após 2024, mesmo com a ampliação prevista da área de plantio”.

Outro ponto destacado é a disputa pela matéria-prima florestal no Mato Grosso do Sul, nos próximos anos. Para Pete Stewart, CEO da Forest2Market e Marcelo Schmid, gerente da Forest2Market do Brasil, “a economia florestal brasileira vai enfraquecer em 2015 e Mato Grosso do Sul ampliará seu papel como a principal região de desenvolvimento florestal da atualidade. Além da instalação já confirmada de pelo menos uma nova fábrica de celulose e uma planta de MDF, demandas por outros produtos de madeira irão surgir (energia e serrarial), aumentando ainda mais as oportunidade para novos produtores florestais”, reforçam.

O Sindicato Rural de Três Lagoas irá realizar a cobertura diária da feira Três Lagoas Florestal e as informações poderão ser visualizadas  pelo sitewww.srtl.com.br .

Robson Trevisan é diretor da Painel Florestal. Foto JJ Cajú