- Destaque - Destaque Principal Três Lagoas

Campanha de combate ao mosquito Aedes Aegypti avança para os bairros

Exército e agentes da Saúde unem forças para orientar a população de evitar acúmulo de água

A campanha de combate ao mosquito transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika vírus não para em Três Lagoas. Completada uma semana do início da força tarefa entre a Saúde e o Exército Brasileiro, a equipe do Setor de Endemias está finalizando os números do trabalho da semana anterior. O balanço da primeira semana será fechado nesta terça-feira (26), junto com o Boletim Epidemiológico.

De acordo com o responsável do Setor de Endemias, Benício Donizete, os agentes comunitários, agentes de endemias e os soldados da 2ª Cia de Infantaria do Exército Brasileiro já percorreram as avenidas Rosário Congro, Capitão Olinto Mancini, Filinto Muller e Ranulpho Marques Leal. Sendo assim, toda área central já recebeu a visita das equipes que realizaram as orientações e também inspeção nos locais.

Teve início nesta segunda-feira (25) a visita em novos locais da Cidade. As equipes foram divididas em duas sendo que os agentes e os soldados do Exército se concentram neste momento nos bairros Santo André, Lapa e Jardim das Paineiras, enquanto a equipe de agentes de endemias e comunitários visitam os imóveis localizados no Novo Ipanema e Santa Rita.

Aproximadamente 50 pessoas entre agentes comunitários de saúde e de endemias junto com os soldados fazem parte dos trabalhos de orientações para a população.

Benício pediu novamente para que os moradores e comerciantes auxiliem no trabalho no modo de permitirem a entrada das equipes dentro da residência e também evitando o acúmulo de água e assim a proliferação do mosquito.

O novo boletim epidemiológico com informações da terceira semana sobre o número de casos notificados e confirmados de Dengue será divulgado nesta terça-feira (26), pela Vigilância Epidemiológica.

ZIKA E CHIKUNGUNYA

Segundo a coordenadora do Departamento de Vigilância Epidemiológica, Adriana Spazappan, até o momento, Três Lagoas não registrounenhum caso suspeito ou confirmado de Zika.

Para investigação da possibilidade da doença no município, o Departamento trabalha de acordo com as recomendações do Ministério da Saúde que é da seguinte maneira: as unidades de Saúde encaminham para a epidemiologia a notificação de algum paciente suspeito com a doença. A partir disso, a equipe inicia o trabalho de investigação por meio dos sintomas registrados na notificação, fazendo o trabalho de descarte.

O primeiro descarte é realizado quando se constata que o paciente apresentou febre alta durante a doença. Segundo a coordenadora, a Zika apresenta febre baixa.

Quando ocorre o descarte da Zika, automaticamente encaminha-se para o exame de Dengue, tornando assim, um caso notificado (suspeito) de Dengue.

Por isso, a recomendação é se caso o paciente apresentar qualquer sintoma, deverá procurar imediatamente o médico e solicitar os exames laboratoriais para que sejam investigados e também registrados, uma vez que o exame deve ser realizado até o quinto dia útil dos sintomas, pois após este período, a doença se dissipa pelo corpo e não há condições de investigar se o paciente esteve com Zika ou não.

Segundo o Boletim Epidemiológico divulgado na última terça-feira (19), Três Lagoas notificou dois casos, sendo foi descartado um e outro ainda está sob análise. Segundo o setor do Município, o caso suspeito e aguardando o resultado de exames é referente ao que foi registrado no final de novembro de 2015. A paciente é do sexo feminino, com idade de 48 anos, residente no bairro Jardim das Paineiras. A paciente veio do Estado da Bahia e já havia contraído a doença. A Vigilância Epidemiológica aguarda o resultado final do Laboratório Estadual de Mato Grosso do Sul (LACEN). O outro caso também foi notificado no final do ano passado, mas já foi descartado conforme citado.

 

 

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Três Lagoas