Geral

Caminhoneiros liberam rodovias de MS após protestos, afirma PMRE

Trecho da rodovia MS-134 foi bloqueado neste domingo (1º) em Mato Grosso do Sul (Foto: Márcio Rogério/Nova News)

Protestantes permaneceram neste domingo na MS 134 e na MS 276.
Polícia diz que cerca de 100 caminhões ficaram parados durante protestos.

A Polícia Militar Rodoviária Estadual (PMRE) confirmou ao G1, na tarde deste domingo (1°),  que não há mais bloqueio de caminhoneiros nas rodovias estaduais de Mato Grosso do Sul. Os protestantes permaneceram na MS 134, km 123, em Nova Andradina, bem como na MS 276, km 2, na saída de Batayporã, a 302 km de Campo Grande,  de acordo com o comandante da instituição, tenente-coronel Waldir Acosta.

“As rodovias foram liberadas por volta das 18h, sendo que não houve transtornos e eles seguiram viagem. Ao todo, cerca de 100 caminhões e carretas ficaram estacionadas nos locais”, afirmou Acosta.

Trecho da rodovia MS-134 foi bloqueado neste domingo (1º) em Mato Grosso do Sul (Foto: Márcio Rogério/Nova News)

Trecho da rodovia MS-134 foi bloqueado nestedomingo (1º). (Foto: Márcio Rogério/Nova News)

Neste oitavo dia de protestos, o bloqueio no km 133, no trecho entre a cidade de Nova Andradina e o distrito de Casa Verde, começou às 8h30. Somente carros de passeio e veículos de emergência estavam liberados para seguir viagem. A categoria parou para almoçar e retomaram com as ações às 13h30, finalizando às 18h.

Rodovias Federais

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) não registrou nenhum incidente nas rodovias neste domingo e diz que a última interdição ocorreu no sábado (28) na Br 163, Km 614 e 616 em São Gabriel do Oeste. A interdição começou por volta das 14 horas por iniciativa de motoristas, em sua maioria, daquela municipalidade e encerrou-se antes das 18h (de MS).

A PRF esteve no local para informar que, caso os motoristas não abandonassem o local, seriam autuados e, consequentemente, seria informada a Justiça Federal da desobediência. Equipes da corporação estão nos locais que já houveram protestos para monitorar possíveis interdições.

Protestos

Caminhoneiros protestam no estado contra taxas de impostos, preço do óleo diesel e valor do frete desde o dia 21 de fevereiro. No dia 24, a Justiça Federal mandou acabar com as interdições sob pena de R$ 10 mil de multa por hora de descumprimento da ordem.

Mesmo com a determinação judicial, os bloqueios continuaram. Na quinta-feira (26), foram oito pontos de interdição. Na sexta-feira (27), protestos com interdições ocorreram na MS-040, em Campo Grande, e na MS-156, entre as cidades de Dourados e Itaporã.

Após o início dos protestos no estado, o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), informou que vai reduzir, até o fim deste ano, a alíquota de 17% do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que incide sobre o óleo diesel.

Emergência

Por conta do protesto dos caminhoneiros, a prefeitura de São Gabriel do Oeste decretou situação de emergência na sexta-feira (27).

No decreto, o prefeito Adão Rolim (PR) considera justo o manifesto dos caminhoneiros e lembra que o município depende economicamente das atividades desses profissionais para escoamento da produção agropecuária, além de ser grande geradora de empregos.

Apoio

Os produtores rurais de São Gabriel do Oeste (MS) apoiam os protestos dos caminhoneiros e donos de transportadoras em Mato Grosso do Sul. Na quinta-feira (26), a categoria juntou maquinário agrícola à beira da BR-163, em adesão às manifestações.

 

 

Graziela RezendeDo G1 MS

viaG1 – Caminhoneiros liberam rodovias de MS após protestos, afirma PMRE – notícias em Mato Grosso do Sul.

 Caminhoneiros liberam rodovias de MS após protestos, afirma PMRE