- Destaque - Destaque Principal Geral

Atípicos, temporais na Capital em maio superaram média histórica em 40%

A média para o mês é de 96,6 milímetros, mas neste maio foram 135,6 milímetros

Fora do normal, assim podem ser classificadas as fortes pancadas de chuva que atingiram Campo Grande no mês de maio. De acordo com levantamento do Centro de Monitoramento do Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos (Cemtec), no mês de maio deste ano choveu 40,3% a mais do que a média histórica.

O volume de chuvas acumulado nos 31 dias de maio somou 135,6 milímetros, número bem acima dos 96,6 milímetros da média histórica do mês. Só neste domingo (31), choveu 54,4 milímetros.

A explicação para tanta chuva, segundo o geógrafo Carlos Eduardo Borges Daniel, está no fenômeno El Niño, que vem das águas do Oceano Pacífico e mexe com todo o clima da América do Sul, principalmente o Mato Grosso do Sul.

“O normal é que no período entre outubro e março o tempo fique mais chuvoso e a partir de abril as chuvas diminuam, tivemos um maio bem atípico”, afirma o geógrafo e assessor técnico do Cemtec.

Durante todo o mês de maio, a temperatura máxima registrada foi de 32ºC, no dia 26 e a mínima, de 11ºC, no último dia 29. A rajada de vento mais intensa foi registrada ontem, quando os ventos passaram dos 55 km/h.

Apesar desta segunda-feira (1º) ter amanhecido chuvosa, a previsão para o mês que se inicia é de menor intensidade de chuva. “As pancadas vão diminuir bem”, completou Carlos.

ESTRAGOS

O temporal de ontem causou estragos em várias regiões da cidade. Segundo o Corpo de Bombeiros, duas ocorrências de queda de parte de árvores de médio porte foram registradas, uma no bairro São Conrado e outra no bairro Jardim dos Estados. Não houve destruição ou feridos.

Uma casa, situada no bairro José Abrão, teve danos no telhado e no muro, em razão da força do vento e outras residências no bairro Coophavilla II tiveram destruição nos telhados.

Também houve registros de alagamentos em ruas de vários bairros, no entanto, nenhum chamado aos Bombeiros foi feito em razão de alagamento em residência.

Volume de chuvas foram intensas
(Foto: Gerson Oliveira/Correio do Estado)

Correio do Estado