Conheça:

Foto mostra neve e entulho que invadiu o Hotel Rigopiano, em Farindola, na região central da Itália (Foto: Italian Finance Police via AP)

Uma  avalanche destruiu um hotel em uma estação de esqui na cidade de Farindola, em Abruzzo, no centro da Itália, na noite de quarta-feira (18). A imprensa local diz que 30 pessoas morreram. Entre elas, ao menos 22 são hóspedes. Horas antes da avalanche, a região tinha sido atingida porpelo menos três terremotos com magnitude superior a 5.

Duas pessoas, que estavam fora do Hotel Rigopiano, foram resgatadas e uma pessoa morta foi retirada dos escombros, segundo a rede CNN.

"Há muitos mortos", declarou Antonio Crocetta, um dos chefes dos socorristas alpinos enviados ao local na madrugada desta quinta-feira (19), segundo a France Presse.

"Nós chamamos, mas ninguém responde", disse Crocetta ao jornal italiano "Corriere de la Sera". As condições de resgate são bastante difíceis, já que o hotel ficou completamente destruído pela avalanche.

Ações de socorro

 

As equipes de resgate demoraram a chegar ao local porque as vias de acesso estavam bloqueadas pela neve. Os sobreviventes se abrigaram em um carro até a chegada do socorro, por volta das 4h desta quinta.

O hotel está localizado no maciço do Gran Sasso (cerca de 1,3 mil metros de altura), na cordilheira dos Apeninos, de acordo com a Efe.

Depois dos fortes tremores registrados na manhã de quarta, a região continuou a registrar réplicas dos abalos durante o período da noite, segundo a BBC. Os tremores ocorreram depois que fortes nevascas atingiram as regiões de Abruzzo, de Marche e de Lazio por vários dias.

Histórico dos tremores

 

Em 23 de agosto de 2016, um terremoto de magnitude 6,2 atingiu as cidades de Amatrice, Accumoli e Norcia. Quase 300 pessoas morreram. Amatrice teve o maior número de mortos e ficou completamente destruída.

Ainda traumatizados por esse terremoto, a Itália enfrentou outros tremores fortes. Em 26 de outubro, três terremotos – um de magnitude 5,5, outro de 6,0, e um de 4,9 – atingiram a região central da Itália com cerca de quatro horas de intervalo.

Quatro dias depois, um 30 de outubro, um novo tremor de magnitude 6,6 deixou quase 8 mil desabrigados e destruiu construções históricas na região de Nórcia, no centro da Itália. Ele foi sentido do norte ao sul do país, de Bolzano, próximo à fronteira do país com a Áustria, à região de Puglia, no extremo sul. Esse terremoto foi o mais forte a atingir a península desde 1980.

Em 2009, um terremoto de magnitude de 6,3 matou mais de 300 pessoas em Áquila.

Cotação do Dólar

Quem está Aqui!

Temos 17 visitantes e Nenhum membro online